Vantagens GNV

Vantagens GNV2020-01-07T18:06:55-03:00

Por que preferir o GNV?

ECONOMIA NO ABASTECIMENTO

O GNV é mais barato, quando comparado com outros combustíveis, e seu rendimento é maior. Com um metro cúbico de GNV você anda mais do que com um litro de gasolina ou etanol.

COMBUSTÍVEL MAIS SEGURO

Por ser mais leve que o ar, em casos de vazamento o gás se dispersa rapidamente, o que torna o veículo superior em segurança, quando comparado aos demais combustíveis.

REDUÇÃO NO GASTO TOTAL

Com GNV você economiza no combustível e na manutenção, gerando uma redução de até 60% dos gastos com seu veículo.

AMIGO DO MEIO AMBIENTE

O GNV polui muito menos que os combustíveis líquidos, melhorando assim a qualidade do ar, contribuindo para melhor qualidade de vida.

ECONOMIA NA MANUTENÇÃO

O motor não sofre carbonização, que suja o seu interior, pois o gás é um combustível seco. Com isso você aumenta o intervalo de troca de óleo e aumenta a vida útil do seu motor.

Simulador de Economia

SELECIONE O TIPO DE COMBUSTÍVEL

Quantos Km/L o seu veículo faz?

Quantos Km/m³ seu veículo faz com GNV?

Quantos kms você percorre no seu veículo por mês?

Qual é o preço na sua cidade?

Qual é o preço do GNV na sua cidade?

GASTO COM

R$ 218,00/mês

GASTO COM GNV

R$ 130,80/mês

ECONOMIA MENSAL

R$ 87,20

ECONOMIA ANUAL

R$ 1.046,40

Dúvidas Frequentes

GNV é a abreviação de Gás Natural Veicular.

O gás natural (CH4) é o combustível mais ecológico de todos e um dos mais abundantes na natureza. Não é obtido pelo processo de refino, mas é um combustível ecológico pronto para ser usado direto da fonte.

Sim, é verdade. Com gás natural, as emissões de dióxido de carbono (CO2) reduzem em aproximadamente 20%, enquanto as emissões de monóxido de carbono (CO), óxidos de nitrogênio (NOx) e hidrocarbonetos não queimados (HC) continuam amplamente não alteradas,  dependente do tipo de veículo e do sistema de combustível instalado. Veículos a gás natural não produzem nenhum PM 10, uma das principais causas da poluição atmosférica em centros de cidades.

O abastecimento com gás natural reduz significativamente os componentes de gases de exaustão para os quais a lei ainda não definiu limites, tais como, por exemplo, dióxido de enxofre (SO2), benzeno (C6H6), formaldeído (HCHO) e PAH (hidrocarbonetos aromáticos policíclicos), substâncias cancerígenas altamente agressivas (poluentes “não regulados”). A utilização de gás natural no lugar de gasolina ou diesel também reduz o potencial de formação de “poluição atmosférica no verão”, poluição fotoquímica causadora da produção de ozônio (O3).

Os motores emitem tipos diferentes de poluentes, dependendo do tipo de motor e do combustível usado. Os principais incluem monóxido de carbono (CO), óxidos de nitrogênio (NOx), hidrocarbonetos não queimados (HC), particulados (PM10), dióxido de carbono (CO2), benzeno (C6H6), aldeídos, tais como formaldeído (HCHO) e hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (PAH), e compostos de enxofre, tais como dióxido de enxofre (SO2) e trióxido de enxofre (SO3).

Sim, é verdade. Os custos de combustível de um veículo a gás natural são significativamente mais baixos que os de um a gasolina/etanol.

É utilizado um ou mais tanques cilíndricos (chamados no Brasil apenas de cilindro) com capacidade, diâmetros, peso, entre outras características diferentes.

Os cilindros são instalados no porta-malas do veículo ou do lado de fora do veículo, cumprindo as distâncias de segurança.

Isso depende do local onde o cilindro será instalado.

O peso do sistema GNV é calculado como parte da carga total que pode ser transportada pelo veículo (pessoas + bagagem). Portanto, o motorista deve levar em conta o peso do sistema instalado ao determinar a carga máxima que pode ser transportada.

Sim, os cilindros de gás natural devem ser testados a cada cinco anos (calculados a contar da data do selo nos cilindros – fabricação).
Os usuários pagam pelo custo de desmontagem e remontagem dos tanques.

Todos os carros a gasolina/etanol, veículos com carburador, veículos com injeção com ou sem catalisadores podem ser convertidos em motores a gás, seja com sistema de injeção direta ou indireta.

Na instalação de um sistema GNV, recomenda-se verificar com uma oficina especializada qual é o tipo de sistema que deve ser instalado no modelo do veículo.

Sim, o inovador sistema de injeção DUAL FUEL da LANDIRENZO possibilita a conversão de motores a diesel em motores que podem rodar com uma mistura de diesel e gás natural.

Isso renova motores a diesel com nova tecnologia que economiza dinheiro, melhora a autonomia e reduz as emissões poluentes significativamente.

Essa sofisticada tecnologia pode ser aplicada a veículos comerciais médios a leves, com kits de conversão padrão, e a veículos pesados, com kits de conversão especiais.

Os sistemas de abastecimento de combustível modernos não resultam na perda significativa de potência, em comparação aos motores a gasolina/etanol, e, portanto, é possível instalar sistemas de GNV até mesmo em veículos utilitários.

É tecnicamente possível (se as características do motor forem semelhantes e permitirem).

Um veículo que funciona bem com gasolina/etanol e é mantido em boas condições gerais funcionará bem com gás.

Para instalar um sistema GNV, ele deve estar em uma condição boa em geral, especialmente o sistema de ignição (solenoides, fiação da vela de ignição, vela de ignição), o filtro de ar, a sonda lambda, o catalisador e as válvulas devem estar em boa condição.

A instalação de um sistema de GNV normalmente 1 a 2 dias em uma oficina especializada – homologadas pelo inmetro.

A instalação de um sistema de GNV não afetará a capacidade de um veículo andar com gasolina/etanol.

O motorista pode decidir qual combustível usar simplesmente pressionando um botão de troca no painel.

Os sistemas de gás atuais são fáceis de usar, pois garantem que o veículo sempre dê a partida usando gasolina e automaticamente troque para gás depois de aproximadamente 15 a 60 segundos, quando os parâmetros ideais de operação tiverem sido alcançados.

A instalação de um sistema de gás praticamente dobra a autonomia do carro, que agora pode contar com dois combustíveis.

Não. Não há nenhuma contraindicação específica. No entanto, vale a pena verificar o sistema de gás quando o carro tiver sido amaciado.

Sim trabalhamos com oficinas homologadas pelo Inmetro, além da nossa rede de oficinas credenciadas Especialista do Gás.

Ver a rede de oficinas Especialista do Gás Landirenzo

Sim, eles são seguros. Os produtos instalados nos veículos em oficinas especializadas.

Todos os produtos Landirenzo também são testados um por um com base no nosso sistema de qualidade, que obteve a certificação ISO 9001 em 1996 e ISO TS 16949 em 2001, o sistema de qualidade específico para o setor automobilístico envolvendo a aplicação de padrões de qualidade extremamente rígidos.

Os tanques de gás natural oferecem segurança garantida, pois são todos submetidos a testes rígidos, ambos para aprovação e durante a sua vida útil.

A força específica necessária para aguentar pressões de teste de 300 bar e pressões operacionais de 220 bar significa que os cilindros são extremamente resistentes ao impacto.

A utilização de componentes dependentes, minuciosamente testados, a adoção durante a instalação de todas as medidas com o objetivo de evitar vazamentos de ar em caso de uma anomalia na operação e as características intrínsecas do gás natural (temperatura alta de ignição, possibilidade de ignição somente dentro de um determinado intervalo de mistura com ar) são todos fatores que desempenham uma função importante para garantir a segurança.

Como o gás natural é mais leve que o ar, em caso de vazamento, ele não irá estagnar, ele será liberado na atmosfera sem acumular no chão.

A resposta tem sido positiva no mundo todo.

Os testes conduzidos em cilindros de gás natural pelas organizações de segurança mais importantes do mundo (Bureau Veritas na Noruega, EPA nos EUA, etc.) têm apresentado resultados bem-sucedidos, garantindo a máxima confiabilidade para esse tipo de tanque. Um relatório da Bureau Veritas da Noruega afirma que os riscos ligados à utilização de veículos a gás natural não são maiores que os associados a veículos a diesel.

Os cilindros de gás natural são regulamentados pelo Inmetro.

Dezenas de testes de acidente e incêndio foram realizados, em colaboração com bombeiros, usando os equipamentos mais sofisticados para verificar a eficiência e segurança de válvulas e tanques.

O gás natural tem o ponto de inflamação mais alto de qualquer combustível. Ele inflama a uma temperatura de 595°C, duas vezes mais alta que a de combustíveis líquidos, e a concentração de combustão (5%) é muito mais alta que a da gasolina (1%) e do diesel (0,5%). Esses fatores reduzem significativamente o risco de incêndio.

O gás natural tem uma densidade e peso específico mais baixos que o ar, portanto, se ele vazar por qualquer motivo, ele tende a ficar volátil, subindo para a atmosfera em vez de estagnar no chão e acumular em concentrações perigosas.

Ambos o gás natural são aromatizados para que você detecte quaisquer vazamentos.

Como qualquer componente mecânico sujeito ao desgaste, sistemas de gás natural precisam de manutenção regular a cada 20.000 km (que pode ser feita durante as revisões do carro), durante a qual o funcionamento correto dos vários componentes será verificado.

Atenção especial deve ser dada ao filtro do gás (que pode precisar ser trocado) e ao sistema de ignição, que deve ser mantido em condições perfeitas.

Um sistema de abastecimento de gás natural causa as seguintes variações:

Uma perda de potência máxima de apenas 10% do torque máximo, resultando, na maioria, em uma queda de velocidade de 5-10%.

Para calcular a autonomia de um carro a gás natural, leva em conta o seguinte exemplo.

Um carro com um cilindro de 100 litros, cheio de gás natural a 220 bar, tem uma autonomia em km aproximadamente igual ao consumo de 30 litros de gasolina.

Observe que a autonomia do tanque de gasolina permanece inalterada e, portanto, a autonomia do carro aumenta significativamente conforme o carro utiliza os dois combustíveis.

O gás natural é comprado em m3 (metros cúbicos).
Utilize nosso simulador para comparar os combustíveis.

Veículos a gás natural são abastecidos conectando a mangueira da bomba na válvula de abastecimento do veículo, que normalmente fica dentro do motor ou próximo do acesso ao tanque de gasolina.

Veículos a gás natural podem ser estacionados em qualquer tipo de estacionamento (inclusive subterrâneo).

Não há nenhuma legislação em vigor a esse respeito. O regulamento fica a critério das empresas de transporte. De acordo com a prática estabelecida, recomenda-se informar a empresa de transporte ao viajar com um veículo a gás, ambos no momento de comprar a passagem e ao embarcar. De qualquer forma, recomendamos sempre verificar com a empresa de transporte.

Sim, não há nenhuma restrição de qualquer natureza.

Com certeza. Os técnicos das oficinas Landirenzo são adequadamente treinados para converter este tipo de carro e, portanto, são capazes de efetuar a calibração mais apropriada.

Não. O sistema, se configurado corretamente, mantém a estratégia Start & Stop ativa: o veículo desliga e reativa com o gás, sem problemas. Mesmo assim uma consulta preventiva com sua oficina Landirenzo sempre é útil.

FICOU ALGUMA DÚVIDA PENDENTE?
Fale conosco pelo e-mail: sac@landirenzo.com.br